O pai da noiva

Você já deve ter ouvido por aí sobre o famoso ‘Pai da Noiva’, longa estrelado por Steve Martin na década de noventa, que ainda mexe com os corações de tantos pais e filhas. Coincidência ou não, a personagem de Martin, George Banks, ilustra o sentimento que vários pais cultivam em relação às filhas que vão se casar: um misto de ciúme, saudade antecipada e, claro, amor.

O papel de pai da noiva, no entanto, surge bem antes de um pedido de casamento. Desde os primeiros passos da filha, é ele quem protege e guia sua ‘eterna menina’ na caminhada da vida, buscando garantir a sua felicidade. Como tudo na vida parece ter fim, essa caminhada termina no altar, com passos curtos e alternados, como quem caminha com medo de chegar.

Cuidar das despesas do casamento ou percorrer a igreja de uma ponta a outra, cercado de olhares atentos, parece fácil perto do ato de entregar a filha nos braços de outro homem. Nem meses de ensaio aliviam o sentimento que abrasa o coração no grande dia. Nem mil palavras explicam a sensação quando os olhares de pai e filha se encontram naquele momento único.

Mas pai é pai e, lá, vai ele. Dançando conforme a música. Levando consigo a experiência e a certeza de que casamento só se constrói com amor. E saudade, com um beijo de “até breve”.

(Fotos: Bebel Tostes e Wadson Aguiar/ Texto: Nataly Maier)