E agora? – um novo capítulo na vida a dois

Casamento… talvez esse seja um  dos grandes sonhos de muitas pessoas, acredito que levei cerca de 28 anos planejando o meu, já que desde que nasci eu respiro e vivo em função do amor! O preparo para o grande dia envolve tantas coisas… sonhos de algumas pessoas (sim, algumas, pois a família e amigos sonham junto conosco!), inúmeros detalhes… Eis que o glorioso dia chega, mas ele passa com tanta rapidez que dá uma sensação de que o responsável pela exibição do filme de nossas vidas fez questão de adiantar a película justamente naquele momento e fez com que cerca de 4 ou 6 horas passassem em frações de segundos. E agora? Acabou? Foi tanto tempo de preparo para tudo acabar assim tão rápido?

Nããããããooo… Começou!!!

É quando a festa acaba que um novo ciclo de vida começa, agora sim virá o casamento!

Apesar dos casais sonharem tanto com este momento em que não será preciso separar no fim da noite, em dormir juntinhos todos os dias e ter um cantinho só deles, comumente, deparo com pessoas vivenciando dificuldades de adaptação nos primeiros meses ou até anos de casamento. É possível perceber que, na maioria das vezes, o problema mora na dificuldade de fechar ciclos.

Ouço casos de muitas mulheres que choram bastante nos primeiros meses de casadas e consigo compreender perfeitamente, é o momento do luto por aquilo que ficou para trás. Quando tinha 13 anos escolhi mudar de cidade para correr atrás de um sonho, lembro-me de ter chorado algumas vezes pensando: “Poxa, a minha cama nunca mais será minha, na verdade, esta casa deixou de ser minha e agora é apenas dos meus pais, quando eu passar mal terei que me virar sozinha, pois meus pais não estarão por perto para cuidar de mim.” Ao casar (eu havia voltado a morar na casa dos meus pais há alguns anos) vieram novas sensações: “Putz, vai ser muito esquisito chegar ao fim do dia e ir embora para outra casa, como assim vou morar na mesma cidade que eles e não os verei todos os dias?”.

Então, na primeira semana após o casamento, fui à casa dos meus pais todos os dias, sentia que ali era o meu lugar. Mas rapidamente percebi que eu não estava fechando o ciclo, era importante compreender que agora, realmente, aquela casa já não era minha, era necessário começar a amar o meu lar, sentir-me em casa na minha casa. Vejo pessoas com vários anos de casados dizendo: “No final de semana eu e meu marido vamos lá pra casa!” ou “Vamos lá pra casa do meu marido.” Ops! Tem gente se esquecendo por aí que no final de semana irão para a casa dos pais, porque a sua casa é onde você mora com esposa ou marido!

Sinceramente, acredito que tal distinção já é um enorme passo para o início de uma vida a dois de sucesso.  Em seguida, é preciso compreender que as regras da casa irão mudar, cada um trará um jeito novo de como agir e juntos construirão uma fórmula única, é necessário entender que aquilo que dava certo lá, talvez não se encaixe aqui!

Assim, no momento em que conseguimos compreender que nossos velhos costumes servirão de aprendizado, mas não necessariamente irão prevalecer, abrimos espaço para o novo e descobrimos o quanto é bom estarmos casados, principalmente quando olhamos para o lado e percebemos que ali está o grande amor de nossas vidas!

Para ver mais do trabalho da Laura, basta clicar AQUI e AQUI!

encontro namoro casal fotografia preto branco pb ensaio

Laura Caribé Pifano Vargas
Psicóloga, especialista em avaliação neuropsicológica, alguém que tem muito interesse nas relações humanas e que busca formas de ajudar a solucionar os problemas advindos das mesmas. Mas, bem antes da profissional, existe aqui um ser extremamente romântico, daqueles que acredita em príncipes encantados e que não desistiu da busca enquanto não encontrou o seu. No entanto, sei que um relacionamento de sucesso não depende apenas de encontrar a pessoa certa, por isso, venho aqui compartilhar minhas experiências como profissional e recém-casada.