O amor é feito de recomeços

LD01_170827_01124-762x509

Há quem diga que é possível amar somente uma vez, que amor é apenas um e o resto são paixões. Eu discordo. Primeiro, porque, na maioria das vezes, esse discurso é decorrente de quem já se apaixonou e tem dificuldade de esquecer a pessoa amada. E, segundo, porque, como costumo dizer, o amor é feito de intensidades. Algumas pessoas a gente ama mais, outras menos, e isso varia conforme a proximidade, a ligação – em casos de parentesco –, a afinidade das relações, a identificação e outras coisas desse tipo. E a parte mais incrível disso tudo é que, até quando a gente está na fossa, pensando que nunca mais vai amar alguém de novo, de repente, recebe uma mensagem pretensiosa no meio da noite e já se imagina de véu e grinalda.

Regenerativo. Essa é a palavra que mais define esse sentimento vicioso. Não adianta espernear, chorar e acreditar que o mundo acabou. Eu entendo perfeitamente quem faz isso, porque sei dos poderes de uma paixão e o que ela é capaz de fazer com o cérebro da gente. Lamentavelmente, deixamos nossos pensamentos negativos tomarem uma proporção gigante que nos faz perder o domínio sobre a própria mente. Graças a Deus, tudo é questão de treino. Não acreditar que a vida não tem mais sentido, buscar compreender o aprendizado embutido nas entrelinhas das decepções amorosas e aprumar ô ânimo para as novas possibilidades é fundamental. A vivência ensina, gente. A gente só tem que querer aprender. E digo “querer”, porque em muitos casos, os desiludidos gostam de sofrer por amor. É um maldito apego que utilizam para se manter ligados ao destruidor de corações.

Tudo é possível quando a gente quer. Se você quer superar o fim de um relacionamento, acredite nessa possibilidade e espere pra ver. Da mesma forma, se você acredita que não vai amar ninguém tão cedo, provavelmente você está intensificando e dando força a esse possível acontecimento. No mais, o amor, independente como é, sempre nasce dentro de nós de novo, até contra todas as probabilidades. E essa é a verdade mais gostosa que existe. Como um ribeiro de águas claras, o amor brota até no interior dos corações mais rochosos. É a vida amando a gente e fazendo a gente amar de novo.

 

Nataly Maier
Estudante de Jornalismo e apaixonada por palavras. Encontra na escrita sua melhor forma de comunicação e uma oportunidade para transformar o mundo em sua volta.