Um pouco de contentamento, por favor!

4-762x509 (1)

Vivemos dias marcados por uma busca incessante por conquistas pessoais. Busca que tem sugado nossas forças, roubado nosso tempo, corrompido nossa mente e comprometido nossas ações. Objetivos a serem alcançados que, em muitos casos, nos obrigam a fazer escolhas e, muitas dessas escolhas, tem tristemente afetado nossos relacionamentos, inclusive o conjugal.

Ao olharmos para dentro de nossa casa, o que vemos? Homens e mulheres sufocados por inúmeras horas de trabalho, estressados com as horas de estudo e tentando ainda encontrar tempo para atividades pessoais. Tanta correria, tanto esgotamento… Por quê? Talvez porque, em busca de uma vida de qualidade, entendemos que esse, e somente esse, seja o caminho. Será?

Na verdade, existe um caminho que nos ajuda a desfrutar de uma vida de qualidade – o caminho do contentamento. Contentamento não tem a ver com comodismo, conformismo ou, até mesmo, preguiça. Não! É algo mais profundo, mais virtuoso, mais admirável.

Tem a ver com compreender que a felicidade não depende de algo que ainda não conquistamos, de uma vida que consideramos ideal e que ainda não é a nossa realidade, nem de apenas entender que o melhor ainda está por vir. Contentamento diz respeito a valorizar o que se tem enquanto vivemos o hoje, já que o futuro não nos pertence. E isso deve ser suficiente para desacelerar um pouco a nossa vida. Alguém disse muito sabiamente que “A vida é o que acontece enquanto estamos fazendo outros planos”.

Trilhar o caminho do contentamento não implica em abandonar sonhos, mas exige a compreensão de que a busca por qualidade de vida deve vir acompanhada de equilíbrio e sensatez e, claro, gratidão pelo que somos e pelo que temos. Você deseja experimentar em sua vida conjugal menos ansiedade e esgotamento e mais tempo juntos? A resposta é simples: Reorganize a sua vida e desenvolva um pouco mais de contentamento, por favor!

751_2802-762x509

Juliana Coelho dos Santos